Metologia permite antecipação de descoberta e correções de maior impacto, enquanto as prioridades e as renúncias seguem padrões semelhantes tanto no desenvolvimento ágil quanto em cascata.

Diante do impacto de falhas de segurança sob vários fatores – receita, reputação, continuidade de negócios, custo de marketing, churning, além de penalidades -, quando os recursos são restritos, a maioria das organizações pretere os testes funcionais e de performance, para priorizar os testes de segurança. Essa é uma das constatações do estudo Agile e DevOps reduzem o volume, o custo e o impacto dos defeitos de produção, realizado pela Harris Pool, com profissionais de organizações que fizeram esse dimensionamento.

A amostragem inclui grupos tanto dos modelos de desenvolvimento ágil quanto tradicional. “Os resultados indicam que, em cascata, os defeitos de produção são distribuídos uniformemente. No Agile/DevOps, tende a haver menos defeitos de alto impacto encontrados na produção”, constata o estudo.

Cobertor curto

Cerca de metades dos entrevistados admitem que só são motivados a corrigir um defeito quando pode implicar perda de dados ou interrupção das operações. Os autores do estudo, todavia, advertem sobre os riscos dessa abordagem. “Corrija defeitos de baixo impacto conhecidos antes de lançar o software. Quanto menos defeitos de baixo impacto você liberar para a produção, menor será a probabilidade de danos à marca se mais defeitos de baixo impacto forem posteriormente descobertos na produção”, recomendam.

Outra recomendação do estudo, que nesse caso converge com as práticas dos entrevistados, é priorizar os testes de segurança, mesmo que em detrimento dos testes funcionais e de performance.

Muitos entrevistados relataram que acompanham o custo dos defeitos, tendo como objetivo principal de descobrir problemas sistêmicos que levam a defeitos futuros.

O estudo da Harris Pool já está disponível, em português, neste link.

Em breve, também vamos disponibilizar a versão em português do 2021: State of Software Quality, o mais completo estudo anual sobre as estratégias, as práticas e uma análise dos benchmarks de companhias líderes em qualidade de aplicações.

Se quiser saber mais sobre DevOps, automação de testes e segurança de aplicações, leia também:

Metodologia, ferramentas e cultura na estratégia de Segurança de Aplicações

Inteligência Artificial alavanca automação e alcance de testes funcionais

Reviews por profissionais de TI corporativos destacam Micro Focus em 6 categorias de DevOps

Saiba mais sobre
as soluções de TI da Micro Focus

Informe seus dados e entraremos em contato






    Prometemos que não enviaremos spam ;-)